É difícil aprender uma linguagem de programação?

Há 9 anos eu comecei a ensinar em instituições de ensino superior. No primeiro semestre como professor de programação fui designado para duas turmas: uma de Java para alunos concluintes e outra de Pascal formada apenas por alunos reprovados na disciplina de Técnicas de Linguagens de Programação I. Pois é, duas turmas com perfis bem distintos.

Eu tomei como desafio a turma de alunos reprovados, pois alguns já estavam fazendo a disciplina pela terceira vez. O que eu implementei na época foi: uma aula na sala com assunto teórico e exercícios para serem feitos no caderno e a outra aula da semana era no laboratório para terminar de reforçar o assunto visto.

Essa idéia deu resultado, pois praticamente todos os alunos foram aprovados, infelizmente houve reprovação, pois tinha um aluno que assistia aula a cada 15 dias e outro que conheci no dia da primeira prova. Essa mesma metodologia apliquei para a turma de Java, que eram os concluintes da primeira turma deste curso, uma turma pequena, porém esforçada. O resultado desta turma foi muito gratificante, com 100% de aprovação.

Fiquei também muito feliz quando escutei do diretor que eu tinha conseguido um milagre, pois muitos alunos estavam elogiando um professor de linguagem de programação, algo realmente raro por ali.

Ao longo destes anos, ensinando diversas linguagens de programação e entrando em contato com os mais variados níveis de dificuldades e dúvidas, comecei a alimentar o sonho de desenvolver um curso capaz de atender e suprir as necessidades e lacunas por mim identificadas.

Finalmente o sonho da criação de cursos de linguagens de programação está se tornando realidade. E para estreiar, o primeiro curso a distância oferecido é o de C++ orientado a objetos.

Quero aproveitar para agradecer a todos os meus alunos que nestes 9 anos com seus feedbacks, críticas e incentivos me ajudaram a desenvolver e aprimorar a minha metodologia de ensino.

Muito obrigado e sucesso para todos,